sábado, 28 de setembro de 2013

a pressa do tempo...

"quero a essência, minha alma tem pressa" e fome dos melhores sabores...


sexta-feira, 27 de setembro de 2013

ah, uma velhice assim, eu quero!


Eu fico com a pureza - Carol W - exposiçao Urban Arts



"conversar com elas e ver como elas percebem o mundo, foi umdos maiores aprendizados que já tive"

 "solidão é trancar a porta"

 " sonho é quando a pessoa voa"

 " universo é um vento que dá frio"

" amor é quando alguém quer a outra pessoa"

poema on line a 4 mãos

Poema a 4 mãos

Escrito em 6 de setembro de 2008

estamos no engatinhar dos sentimentos todos
e é propósito de quem nos quer ensinar
DEUS É UM GRANDE JOGADOR.
QUE GANHA TODAS.
E nos encaminha bem
MOVE AS PEÇAS PEÇAS COM BONDADE.
 nos leva por esse fio invisível cheio de sentido a ele e tão estranho a nós
AO MESMO TEMPO TÃO ÍNTIMO
É APRÓPRIA INTIMIDADE..
de tão perto, ofusca
 de tão parte, encaixa
Deus é o FUSCA quando pensamos mercedes.
é a asa quando penamos poço
a seiva quando o adubo falha
a luz que buscamos em todos os túneis
o sol nosso de cada dia
a chuva na seca da bondade
a caridade em visita
 a criança que em nós aprecia joaninhas
o esforço do broto entre as calçadas.
 o florescer primavera em qualquer tempo
o abrigo único quando o relento domina
 o lento regresso pro centro
Deus é este viés que buscamos
de todas as jóias, a mina
o brilho dos olhos no desejar dos amantes
a asa entre quedas e risos, que tramamos
O don Quixote de Cervantes
os moinhos, as esperanças, as crianças, os gira-sóis
 ele é um e todos nós
..AO MESMO TEMPO.
A mão descansada sobre o espaldar dos colos.
o olhar buscando abrigo no horizonte
A queixa acolhida.
na hora do vacilo
o sopro na ferida
 a mão que segura a testa
a dose oportuna que resta
 esse Deus que nos habita
 espia por nossas frestas
sabe das nossas entregas
e nos carrega no colo, quando queremos parar
Quando vagamos feito cão banido
é nossa ração e sentido
ou quando pássaros feridos latejantes nas distâncias dos vôos.
Deus é mãe em vigília.
Porta em espera enquanto tateamos tanto.
 é orgulho de filha e colo certo
pai por perto frente ao tremer do perigo
 Deus é abrigo
amigo que não tem hora
É amigo em sala de bate-papo em poema a 4 mãos. COMO AGORA

Idésio Oliveira e Nádia Lopes

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

terça-feira, 24 de setembro de 2013

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

terça-feira, 17 de setembro de 2013

um olhar sobre a cidade...

Meu conceito de arte é puramente emocional, ARTE é tudo que quando expresso me toca, me arrepia, me tira do prumo, me faz repensar sentimentos e refaz meu olhar.

O Alexandre Godinho é um ARTISTA, assim maiúsculo e encantador, de tal forma dedicado e atento, que mais parece um menino brincando, a infância nos garante essa dedicação, plenitude e sensibilidade que os tempos adultos muitas vezes nos tiram, e que felizmente no Godinho são marcas permanentes.

Ele me pede um texto para a exposição de 240 anos de Porto Alegre, e me sinto honrada e feliz,  por desfrutar da sua amizade e  por saber que mais gente terá o privilégio de se sensibilizar com os olhares , cores e o talento enorme do meu amigo.

O Godinho que não nasceu aqui, mas que como eu escolheu Porto Alegre para viver , mostra cantinhos dessa cidade  sob um olhar encantado como o de um turista e íntimo como de um amante, desvendando  suas belezas com o cuidado e o deslumbramento.

Estão  aqui momentos mágicos de uma Porto Alegre ainda mais bonita, abençoada pelo olhar do fotografo Alexandre Godinho.

Essa é a força que faz dele um artista, a capacidade de sentir o  respirar das pedras , de viajar na luz , nas cores,  no céu, nas águas, a precisão do registro, a beleza...
A fotografia é  arte de  eternizar emoções.

Deliciem-se com as eternidades desse amigo e fotógrafo maravilhoso , mostrando com carinho essa cidade que pulsa e nos acolheu.

Parabéns Porto Alegre!
Parabéns meu amigo tuas fotos reafirmam:
PORTO ALEGRE É DEMAIS!
E me fazem uma turista ainda mais apaixonada pela cidade e pelo teu trabalho...

Porto Alegre - FOTOS ALEXANDRE GODINHO

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

a gente se acostuma, mas não devia...

Marina Colassanti por Abujamra...pra pensar e reabrir janelas e o peito...


Seguidores