domingo, 24 de abril de 2011

lembrando um dia branco...


“Se você vier
Pro que der e vier
Comigo...
Eu lhe prometo o sol
Se hoje o sol sair
Ou a chuva...
Se a chuva cair
Se você vier
Até onde a gente chegar
Numa praça
Na beira do mar
Num pedaço de qualquer lugar...
Nesse dia branco
Se branco ele for
Esse tanto
Esse canto de amor

Se você quiser e vier
Pro que der e vier
Comigo..”

Trilha perfeita pra um ritual de amor, musica preferida do meus amigos, 13 anos juntos, 3 filhos lindos, que resolveram confirmar em plena lua cheia, que pretendem continuar amando-se e respeitando-se por todos os dias de suas vidas...

Foi ali, vendo o pai entrar acompanhado das duas filhas e a mãe do filho, que pensei: Todos os casamentos deveriam ser assim! Essas promessas de cumplicidade e intenção fortes, de se acompanhar na saúde e na doença, em jovens em estado de paixão é meramente figurativo,
Precisa ter muito fôlego e resistência um amor pra não morrer, já que no terreno das emoções moram as maiores fragilidades, é preciso um dose maciça de disponibilidade, um que outro reforço em palavras, é preciso um elogio, uma massagem de vez em quando, é preciso intimidade, clareza, vontade de permanecer, desejo e prazer na permanência e não falta de escolha, quem está do nosso lado, merece nosso eu melhor , assim como nós o merecemos. quem já viveu “de um tudo” pode dizer que SIM, que pretende continuar e que SIIIIIIIIM essa amor é forte e valerá a pena!

Fiquei imensamente feliz de ter sido testemunha desse ritual de confirmação, mais do que isso, de ter sido madrinha, por que torço que o amor vença, que o amor resista, que o amor seja pra sempre branco!

segunda-feira, 18 de abril de 2011

O AMOR É IMPORTANTE, PORRA!



Faixa inédita do cantor e compositor Criolo, que integrará o álbum "Nó na Orelha", a ser lançado em maio de 2011. Produzido por Daniel Ganjaman e Marcelo Cabral.

Criolo - voz
Daniel Ganjaman - arranjo de cordas, teclados e guitarra
Marcelo Cabral -- arranjo de cordas, baixo e guitarra
Samuel Fraga - bateria
Renato Rossi- viola
Luiz Gustavo Nascimento - violino

Gravado e Mixado por Daniel Ganjaman no estúdio El Rocha.

Masterizado no estúdio El Rocha por Fernando Sanches.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Facebook uma solidão compartilhada...?



Estava conversando on line com uma amiga e ambas reclamávamos de um certo cansaço, uma certa preguiça, que tem sido cada dia mais frequente, de sair, e aí ela me comentou que riu muito com uma outra amiga, que disse que nosso cansaço não nos impede de ficar até altas horas conversando e trocando filmes e musicas pelo facebook. Foi assim que percebi: o facebook é nossa solidão compartilhada, estamos sós, pero no mucho, ou ao menos não tão sós parecemos, em conversas que podem durar horas...São os tempos modernos e ainda não sei se isso é uma evolução.

Algun anos atrás reencontrei um ex-namorado por acaso no bric, combinamos uma cerveja mais tarde num dos bares da cidade baixa. Ele preciso dizer, era quando namoramos e ainda permanecia o que chamam "bicho-grilo", avesso as tecnologias, adepto de naturalismos, uma pessoa excepcionalmente agradável,músico, poeta e alguém que eu queria muito sentar e conversar mais um tanto e tinha receio de perder de novo de vista. Sugeri: _ Me dá teu celular que te ligo para nos acharmos quando eu chegar no bar. Comentário pra lá de "natural" ao que ele sorridente me respondeu: Ah, não tenho celular, mas nunca precisamos de celular pra nos achar...

E é verdade, uma verdade bem básica e simples, antes nos encontrávamos naturalmente, bem antes quando até os telefones eram raros e custavam os olhos da cara, nos encontrávamos sem sequer uma ligação marcando o encontro.
Não lembro bem como fazíamos, se eram bilhetes, ou criávamos hábitos, ou faziamos visitas e combinações mais precisas, mas o fato é que nos encontrávamos...

Agora nos encontramos? Onde?

De certa forma essa animação me lembrou essa opção, ou solução, ou realidade...estamos convivendo cada dia com mais informações, sons e imagens, e a cada dia mais distantes. Menos toques, menos mãos, menos olhos nos olhos, menos cheiros, está sobrando visão e audição, e faltando tato & olfato, faltando contato...
E quase tenho certeza, de que ao menos em relação a encontros reais, isso é uma involução.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

por que a vida requer trilha...

me apaixonei por um blog que acabei de conhecer e já indiquei pra meio mundo...www.trilhapara.blogspot.com

A minha trilha de hoje especialmente escolhida lá...

o AMOR começa...

..."O amor começa casto ou com pecado, começa avisando que veio ou toma a gente desavisado. Começa na chuva , no sol, nas grandes alegrias e nas enormes privações. Começa o amor porque acaba. E por ter começo e fim motiva loucuras, paixões, as melhores letras das canções" Ricardo Soares leiam...

Este texto me lembrou um lindo do Paulo Mendes Campos - O amor acaba...

Hoje estou só querendo lembrar a delícia que é o AMOR começar!

Torquato ..o anjo torto!




" Tudo o que eu quero
É uma questão de gosto:
Um beijo, bolero
E pipoca moderna
... Mais o contra-resto
Menos nosso imposto
E cada vez mais perto
Do porto.

Coração correto."

Espiem o tanto mais que esse site tem das obras do grande Torquato Neto.
Torquato - O anjo torto

E essa, vocês sabiam que é também do Torquato?



Go Back
Torquato Neto
Composição : Sérgio Britto e Torquato Neto

Você me chama
Eu quero ir pro cinema
Você reclama
Meu coração não contenta
Você me ama
Mas de repente
A madrugada mudou
E certamente
Aquele trem já passou
E se passou, passou
Daqui pra melhor, foi
Só quero saber do que pode dar certo
Não tenho tempo a perder

terça-feira, 5 de abril de 2011

Sociedade dos poetas mortos

"Não lemos e escrevemos poesia porque é bonitinho.
Lemos e escrevemos poesia porque somos membros da raça humana e a raça humana está repleta de paixão.
E medicina, advocacia, administração e engenharia, são objetivos nobres e necessários para manter-se vivo.
Mas a poesia, beleza, romance, amor... é para isso que vivemos."

Seguidores