sexta-feira, 28 de maio de 2010

a nossa história...



mais que um comercial da Natura... uma poesia sobre cada rosto e suas histórias...

rugas
essa surgiu há anos
quando forçei um sorriso
essa outra
na primeira vez que deu errado
e fiquei fraca
já essa foi de fechar os olhos
surpresas,caretas,risadas
as outras
por outras histórias
de amor,tentativas,excessos
por sol,luz,vento
são meu tempo
diário de bordo
meus mapas

quarta-feira, 26 de maio de 2010

eu sou...

eu
sou lua
minguante
nova
crescente
cheia
mutante...
sou pessoa
composta de cores e detalhes
gente do tipo flor de muro
que amanhece e desamanhece
várias vezes ao dia
e nasce por insistência da vida
gente orvalho
geada

gente girassol
buscando luz
gente lata
decompondo
ao relento
gente formiga
carregando pesos enormes
gente chuva
que se dilui em lágrima
por emoção qualquer
gente mar
que vem e volta
para aprender
a chegar ...

a pesca da lua por Alexandre Godinho

terça-feira, 25 de maio de 2010

o importante é saber!



Amei a simplicidade, o olhar, a musicalidade e o talento dessa mulher!

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Da natureza das pessoas por Everton Behenck

Uns foram feitos
Para a felicidade

Outros ardem

Uns foram criados
Para não ver nada

Outros para intuir a verdade
Mesmo em sua incapacidade

Uns foram feitos para a cama
Outros mesa e banho

Uns não sabem seu tamanho
Outros criam sua estatura

Uns foram feitos
Para a loucura

Outros para a lacuna

Uns feitos
Para o que podem suas juntas

Outros para a busca
Nua

Uns foram feitos
Para serem precisos

Outros
Para lutar com o invisível

Gosto tando das poesias dele, espiem e gostem também Apesar do céu...

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Olhares de sensibilidade pura...

O filme do Rog Souza está aqui por que é poesia pura e mostra como olhando bem, é fácil ver a vida linda e simples!

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Por que Chico é poesia até no olhar...



O que será que me dá
Que me bole por dentro, será que me dá
Que brota à flor da pele, será que me dá
E que me sobe às faces e me faz corar
E que me salta aos olhos a me atraiçoar
E que me aperta o peito e me faz confessar
O que não tem mais jeito de dissimular
E que nem é direito ninguém recusar
E que me faz mendigo, me faz suplicar
O que não tem medida, nem nunca terá
O que não tem remédio, nem nunca terá
O que não tem receita

O que será que será
Que dá dentro da gente e que não devia
Que desacata a gente, que é revelia
Que é feito uma aguardente que não sacia
Que é feito estar doente de uma folia
Que nem dez mandamentos vão conciliar
Nem todos os unguentos vão aliviar
Nem todos os quebrantos, toda alquimia
Que nem todos os santos, será que será
O que não tem descanso, nem nunca terá
O que não tem cansaço, nem nunca terá
O que não tem limite

O que será que me dá
Que me queima por dentro, será que me dá
Que me perturba o sono, será que me dá
Que todos os tremores que vêm agitar
Que todos os ardores me vêm atiçar
Que todos os suores me vêm encharcar
Que todos os meus órgãos estão a clamar
E uma aflição medonha me faz implorar
O que não tem vergonha, nem nunca terá
O que não tem governo, nem nunca terá
O que não tem juízo

..........

O que será que será
Que andam suspirando
Pelas alcovas?
Que andam sussurrando
Em versos e trovas?
Que andam combinando
No breu das tocas?
Que anda nas cabeças?
Anda nas bocas?
Que andam acendendo
Velas nos becos?
Estão falando alto
Pelos botecos
E gritam nos mercados
Que com certeza
Está na natureza
Será, que será?
O que não tem certeza
Nem nunca terá!
O que não tem concerto
Nem nunca terá!
O que não tem tamanho...

O que será? Que Será?
Que vive nas idéias
Desses amantes
Que cantam os poetas
Mais delirantes
Que juram os profetas
Embriagados
Está na romaria
Dos mutilados
Está nas fantasias
Dos infelizes
Está no dia a dia
Das meretrizes
No plano dos bandidos
Dos desvalidos
Em todos os sentidos
Será, que será?
O que não tem decência
Nem nunca terá!
O que não tem censura
Nem nunca terá!
O que não faz sentido...

O que será? Que será?
Que todos os avisos
Não vão evitar
Porque todos os risos
Vão desafiar
Porque todos os sinos
Irão repicar
Porque todos os hinos
Irão consagrar
E todos os meninos
Vão desembestar
E todos os destinos
Irão se encontrar
E mesmo padre eterno
Que nunca foi lá
Olhando aquele inferno
Vai abençoar!
O que não tem governo
Nem nunca terá!
O que não tem vergonha
Nem nunca terá!
O que não tem juízo...

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Anita , Carpinejar & eu

A Anita tem um sorriso largo e um olhar bem preto e mora naquela cidade bonita que é Curitiba, há muito tempo atrás entre uma taça de vinho e uns livros folheados, me fez querer conhecer o Carpinejar, ora vejam, conheci e gosto muito, de ambos.
Hoje, no meio de uma tarde de segunda ela me traz um poema e uma saudade dita,como lembrança é uma outra forma de poema. Resolvi fazer esse post pra ela.

Aí vai um pouquinho de Carpinejar:
Poemas do livro Cinco Marias

Chega um momento
em que somos aves na noite,
pura plumagem, dormindo de pé,
com a cabeça encolhida.
O que tanto zelamos
na fileira dos dias,
o que tanto brigamos
para guardar, de repente
não presta mais: jornais, retratos,
poemas, posteridade.
Minha bagagem
é a roupa do corpo.

...

Eu fui uma mulher marítima,
as rugas chegaram antes.

Eu fui uma mulher marítima,
paisagem e pêssego,
uma faísca
entre a corda do barco
e a rocha.

Eu fui o que não sou.
Depois que inventaram o inconsciente,
a verdade fica sempre para depois.

..

Acerto o relógio pelo sol.
Percorro as dez quadras
de meu mundo.
As ruas são conhecidas
e me atalham.

...

Meu medo se interessa por qualquer ruído.
Hoje quero alguém para conversar enquanto dirijo,
baixar os faróis em estrada litorânea,
enxergar pelas mãos.

...

Fazer as coisas pela metade
é minha maneira de terminá-las.

.....

No twitter do Carpinejar:Alegria, sozinho, é uma tristeza. Tristeza, acompanhado, é uma alegria

quinta-feira, 13 de maio de 2010

a poesia da noite de ontem....



A vida tem me dado poesia, como sempre...Só não tem me sobrado tempo de compartilhá-la...Por que o tempo anda pequeno mesmo acordando as 6 hs da manhã, aliás assistir o nascer do sol é uma forma muito suave e revigorante de alegria.
Mesmo que rapidamente e sem todo o cuidado e os detalhes que a noite merecia para ser contada, preciso contar o tanto de poesia que vivi ontem, lá vai...
Tenho uma amiga, grande Simone que sorri enorme,faz florais,é mãe, canta, escreve, corre, faz natação, trabalha feito louca e ainda por cima arranja tempo pra estudar: Francês e participar de uma oficina de escrita com o Alcyr Cheuíche...ah, esqueci de um coisa muito importante, minha amiga é casada com meu também amigo Ronaldo e eles adoram RECEBER , assim mesmo em maiúscula...Acendem velas e lareiras, abrem vinhos e champagnes, cozinham e naquela cobertura linda e aconchegante, nos fazem sentir em casa.
Ontem houve uma aula especial da oficina, lá na cobertura-casa, eu fui convidada a participar e amei. Lá estavam os colegas especiais e a Simone,todos com seus textos ótimos, a energia contagiante do Cheuiche e o doce Paulinho, mestre em musica que tira sons fantásticos de um serrote, lá estavam as emoções, as lembranças, os sonhos, lá estávamos todos em casa, sorridentes e acolhidos, pelas palavras ditas e sentidas, pelo dedilhar do violão, com a certeza de que poesia bonita é essa que se vive diariamente...Linda noite, que eu jamais conseguiria descrever em palavras, noite de sarau, noite de gente viva e plena. Gente com fogo por dentro, gente que nunca será tapera.

Esse texto completo lá no meu outro Blog (exagerada eu sei, sou discípula de Cazuza)

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Todo amor que houver nessa vida...



Saudade de todas as poesias do Cazuza!
Quem surgiu pra fazer musica-poesia depois dele?

domingo, 9 de maio de 2010

Presente do meu presente!

Acordei com uma mesa de café toda arrumada, uma caixa linda com vários presentinhos, todos a minha cara e além de tudo isso, o notebook ligado e esse vídeo...



Ai,ai a minha música favorita e fotos nossas de todos os tempos...imaginem o tanto que me emocionei e chorei?
É uma delicia ser MÃE!!!
Ser mãe da Alice então...o máximo!
Desejo á todas as mães nesse dia e sempre, carinhos assim tão especiais!

sábado, 8 de maio de 2010

terça-feira, 4 de maio de 2010

a poesia de sermos além...



Mosaico de Cida Carvalho, paranaense residente no Distrito Federal. Imagem do site Mostra Musiva de Brasília

segunda-feira, 3 de maio de 2010

A poesia de doar...

Chama DOE PALAVRAS o lindo projeto que o Hospital Mário Penna de Belo Horizonte lançou com o intuito de dar força aos pacientes com câncer, lançou ...Fácil, rápido e todos podem doar um pouquinho.

Você acessa o site http://www.doepalavras.com.br, escreve uma mensagem de otimismo, curta (também pode ser pelo twitter) e sua mensagem aparece no telão para os pacientes que estão fazendo o tratamento.

Um gesto á distância, um acalanto...Doar é poesia pura...doem abraços em forma de palavras!

Por que é preciso APAIXONADAMENTE lutar por outro mundo!

Seguidores