terça-feira, 30 de abril de 2013

um casal que é poesia e inspiração pura...

Lindo "casal sem vergonha" de buscar a melhor forma de ser feliz!


quarta-feira, 24 de abril de 2013

segunda-feira, 22 de abril de 2013

arte + poesia

amor tem que dar espaços
luzes nas janelas
cantos pra se esconder
ter cheiros familiares
de café recém feito
pela manhã e à tarde
cheiro de vó aconchego
tem que abraçar
dar sossego
sofás gordos almofadas
músicas gostosas livros
lembranças nas parede
amor tem que ter vida
nos tornar mais gente
e nos receber
sempre sorrindo
na porta da frente...

http://wp.clicrbs.com.br/zhmoinhos/2011/10/30/pura-emocao-e-sentimentos/?topo=13,1,1,,,13

 arte + poesia  - Clarissa Motta + Nadia Lopes - Casa de La Madre

" a vida ensina que não se aprende a viver senão vivendo..."


Por que palavra não cala e o poeta continua nos levando pra voar...

Por que palavra não cala e o poeta continua nos levando pra voar...
Bom vôo Paco Cac!


 "Palavra (a)bru(p)ta.

palavra em riste

passarinho que chora

letras são seu alpiste."



               ....


"Levo na bagagem

A camisa volta ao mundo

Já puída que me deste nos anos 60

E o destino que escolhi:

Detalhe que ninguém olha

Caçador de coisas utópicas

Mas guarde esses demorados beijos

Junto da sua vitrola

Vinho e tubo de cola

Porque daqui a pouco

Os sonhos podem se descolar da razão."

quando um poeta se vai...

LALALAMENTOTO -
para Paulo (Paco Cac) Custódio 1952/2013

"Deus pode tudo, ter vários nomes, vários rostos, até ser mais de um, sendo vários.
Deus pode ser paciencioso, observar as bobagens que fazemos, respirar fundo, levar a mão no rosto e suspirar quan
do fazemos estripulias.
Deus pode ser vascaíno, flamenguista, flanelinha, pipoqueiro, contrabandista.
Gerar energia para mover rios e mares, levar vida, de todos os modos, a todos os lugares.
Pode ser surdamente silencioso, ou silenciosamente barulhento.
Pode fazer a vida começar num breve momento e num instante breve levar-nos a voar
e a sonhar com candelabros e cataventos.
Pudesse eu pedir-lhe algo, assim faria, de pronto, sem constrangimento:
- Senhor, não leve para junto de si, tão cedo, os poetas, deixai-os ficar velhinhos, para que sofram pelo atrevimento de criar com as palavras, deixai-os por aqui, soltos e livres como pássaros sem asas.
Mas Deus, por vezes, deve sentir-se solitário, e nesses momentos sempre chama um poeta para lhe fazer companhia, para ter alguém com quem conversar, alguém com suficiente capacidade de imaginar acontecimentos.
Deus ainda tem o estranho hábito de chamar crianças para junto de si, como um velho que já viu tudo e precisa de coisas novas para serem vistas.
Poetas e crianças possuem esse dom – conceder olhos novos ao todo-poderoso,
fazendo desse jeito com que Ele permaneça botando fé na sua criação, no seu invento,
e, consequentemente, em nosso sustento.
Quando morre um poeta, então sabemos, nasce uma estrela nova no firmamento.
E o Bom Senhor recoloca as peças no tabuleiro, enquanto, sorridente, prepara um chá quente, para receber mais um companheiro."


Mário Pirata

segunda-feira, 15 de abril de 2013

sexta-feira, 12 de abril de 2013

brincando na chuva!


houve um tempo
em que eu infinita
brincava na chuva
sem medo nem gripe
com as bolitas 
brilhando nos olhos
fazia arco-íris

    Houve realmente este vácuo no tempo, onde eu desconhecia passado ou futuro, a ansiedade adulta de fazer, ainda não havia nascido, eu era realmente infinita e a vida então era simples com o viver pleno de cada minuto.
    Por desconhecer perigos não havia nenhum medo.
    A chuva era festa-benção, não dava  gripe, e ainda não existiam os vírus mórbidos que vieram depois.
   Os olhos bolitas transparentes, resplendiam cor, brilhavam
certezas e faziam arco-íris e tesouros facilmente encontráveis.
    Eu muitas vezes me pergunto onde foi parar essa criança,
talvez tenha fugido com o Papai Noel ou com o Peter Pan para Terra do Nunca, talvez tenha ficado esquecida em alguma porta do colégio, quando os meninos passaram a ter mais importância que as bonecas. Talvez tenha ido embora cansada de me esperar.
     Mas tenho esperança que seja ela, escondida em mim, que me emociona de vez enquando,  me faz esquecer o relógio e
desligar o celular, ela que injetou nos meus olhos o gosto pela
cor e a beleza, ela inventora do amor, que sempre me lembra
que vale a pena acreditar...

      Com certeza é ela , que me fez procurar poesias antigas pra pra colocar aqui e por que estava chovendo, me lembrou bolinhos de chuva, barquinhos de papel e a maravilhosa sensação de viver leve e eternamente feito criança!
 
       Não deixem a criança se perder!



Seguidores