sexta-feira, 29 de julho de 2011

enroscadinho...



Tomar vinho, dar carinho
Conversar enroscadinhos
Pra milhões e milhões de inhos
O inverno nos espera
Posso aninhar no teu corpo
Pra aguardar a primavera?

É mais ou menos essa sensação de espera que o inverno me traz, de querer me entocar, de aguardar outros tempos, de me estocar.
E pra isso nada melhor do que intimidade, meias de lã, vinho, chá ou chimarrão compartilhados, caldos quentes e outras tantas coisas gulosas e calóricas que parecem afastar o frio.
Emocionalmente é uma pena que a primavera venha depois...Seria mais fácil, as estações estarem noutra ordem: existir o verão todo pra fora, onde mesmo sem querer as pessoas ficam expostas e iluminadas, seguidos de uma primavera óbvia, onde os expostos se apaixonassem e florescessem, seguidos de um inverno rigoroso onde a intimidade fosse necessária e conquistada, pra depois vi-ver o que o outono reservasse.
Mas não, as estações não nos ajudam nisso!
Em tempo frios e úmidos como estamos vivendo, nunca vi tanta gente solitária, tanta gente desencontrada, tanta gente on line nas madrugadas e nos finais de semana...
O inverno é estação anti-social e ao mesmo tempo estação carente, difícil contabilizar essa “matemática emocional”, principalmente sendo os pares tão ímpares, ás vezes.
O frio deixa a preguiça ainda mais manhosa, a cama ainda mais gostosa, haja coragem pra ganhar a rua, cadê a vontade de encontrar?
Por isso as palavras de um conhecido dia desses, me soaram tão verdadeiras: ”estou sentindo falta de ter alguém pra sentir falta”, isso é inverno puro, de alma, é um vento minuano cortante por dentro.
Não ter alguém pra querer e dividir o frio, é um inverno rigoroso. E é uma sensação fria e infelizmente bem comum pelo que tenho visto por aí.
Durante os próximos dias, vamos ter que forjar uma primavera, antes da próxima geada.
Vamos ter que iluminar bem os olhos e acender um verão no próximo fim de semana.
Simples assim, acender uma lua cheia, que essa sempre ajuda, e encontrarmos um amor pra fazer ninho e bem aquecidos espiarmos o inverno pela janela.
Mas se só à vontade de encontrar não for suficiente, talvez o outono/inverno tenha secado e feito mais estragos por dentro do que gostaríamos e seja mesmo o tempo de hibernar, pra primavera nos receber férteis e propensos.

amor tem que dar espaços
luzes nas janelas
cantos pra se esconder
ter cheiros familiares
de café recém feito
pela manhã e à tarde
cheiro de vó aconchego
tem que abraçar
dar sossego
sofás gordos almofadas
músicas gostosas livros
lembranças nas parede
amor tem que ter vida
nos tornar mais gente
e nos receber
sempre sorrindo
na porta da frente

Nesse inverno, que está sendo uma prova de fogo e resistência, desejo pra todos nós, um amor assim, aconchegante que nos ajude a deixar o frio e qualquer possibilidade de solidão, lá longe...

quarta-feira, 20 de julho de 2011

voltar pra casa...

aos meus amigos minha gratidão!!!



"Meus amigos são todos assim: metade loucura, outra metade santidade. Escolho-os não pela pele, mas pela pupila, que tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante. Escolho meus amigos pela cara lavada e pela alma exposta. Não quero só o ombro ou o colo, quero também sua maior alegria. Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto. Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade. Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos.
Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça. Não quero amigos adultos, nem chatos. Quero-os metade infância e outra metade velhice. Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto, e velhos, para que nunca tenham pressa. Tenho amigos para saber quem eu sou, pois vendo-os loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que a normalidade é uma ilusão imbecil e estéril".
Fernando Pessoa

terça-feira, 19 de julho de 2011

a experiência de amar...

..."o melhor jeito de conquistar uma pessoa é cultivar uma mente sem bagunça, pronta pra recebê-la em casa. Um filme que dá gosto encenar. É já viver em um mundo no qual ela vai querer nascer. Fazer da sua vida inteira uma boa cama pra ela se deitar. Porque não é exatamente você que ela vai amar."
..."Nós amamos o mundo do outro. Mais ainda, amamos a experiência de ser alguém nesse mundo."
Gustavo Gitti - quarta pessoa/vida simples

segunda-feira, 18 de julho de 2011

deveriamos assistir esse vídeo todas as manhãs...


E assim poderíamos rever as importâncias e dificuldades que usamos para nos justificar...

domingo, 17 de julho de 2011

Arthur de Faria e Omar Giammarco...poesia pura!



"os filhos chegam ao mundo
desassombrados, mudos, sem ar
vem de Deus, pra pais pasmos
sem teste, sem ensaiar
se os filhos chegam todos
com mil perguntas
com mil porquès
os pais respondem tontos
certezas falsas, sins sem saber
no sem saber, vai se saber
qual é a data em que se vira pai de um filho
e o filho ao fim , apreende o pai
em cada vão
não vê
os filhos chegam ao mundo
com o assombro inaugural
pais que já estavam antes
não vêem ao mundo igual
os filhos vão pelas noites
acendendo luzes
para dormir
os pais vão as cegas
sempre pensando no porvir
farol de luz
escuridão
pais que foram filhos
sofrem sentindo saudades de seu pai
que já não está
por que voltou a Deus..."

Seguidores