domingo, 10 de julho de 2016

essa falta de auto-estima
esse querer agradar
a urgência de ser bem quista
gerando o medo de dizer NÃO
.e ser rejeitada
meu sorriso sempre a postos
minha fragilidade
duramente encoberta
me disfarcei tanto
que já nos me reconheço
essas outras que guardei
tem cheiro de monstros/pecados
que não mostrei pra ninguém
não permiti a raiva, o GRITO
não deixei que a dor saísse
tive tudo controlado
fui assim bem normalzinha
menininha, boa moça
incapaz de querer mal
não bruxa e sim cinderela
parecia tão verdade
esse maniqueismo bobo
que me fez fazer de conta
que não sou sinceramente
boa e má
médico e monstro
criador e criatura
mas agora me permito
na corda bamba
me esforço/mostro
muito prazer
sou humana!

Humana - Nadia Lopes




segunda-feira, 13 de julho de 2015

Father And Daughter

Bem diz o Jorge Furtado: Father And Daughter, de Michaël Dudok de Wit. Um dos melhores curtas de animação que já vi, ganhou o Oscar em 2000. Tem 9 minutos, sem falas. Quem não quiser chorar, evite!
Nao evitei e chorei! lindo trabalho ...



quarta-feira, 8 de julho de 2015

a arte do voo..


"Para obter algo que você nunca teve, precisa fazer algo que nunca fez" (Chico Xavier)
Acreditar na existência de asas, rever a critica e o que supõe ser a "doença" dos voadores, pra quem sabe, abandonar a gaiola e até conseguir voar...


terça-feira, 7 de julho de 2015

do amor que acredito...

Ontem foi uma enxurrada de amor , tudo o que recebi on line...meus anjos deviam estar esperto e resolveram me relembrar de tudo que sempre acreditei, que amor é ENCONTRO, é disponibilidade de fazer melhor, é uma espécie de magia que realmente nos aproxima do melhor que podemos ser... é fundamental crer e fazer um amor assim...

Presta atenção na definiçao do amor-encontro dita pela personagem da Regina Duarte:
http://gshow.globo.com/novelas/sete-vidas/videos/t/cenas/v/eriberto-fala-de-renan-para-esther-e-ela-o-questiona-sobre-os-dois/4302745/

logo outro texto:
Fique com alguém que não deixe existir zonas nebulosas. Que te dê mais certezas do que perguntas. Que apresente soluções antes mesmo dos questionamentos aparecerem. Fique com alguém que te seja a solução dos problemas e não a causa. Fique com alguém que não tenha traumas. Que não tenha assuntos mal resolvidos. Que saiba que para ser feliz, tem que deixar o passado passar. Fique com alguém que só tenha interesse no futuro e que queira esse futuro com você. Fique com alguém que te faça rir. Que te mostre que a vida pode ser leve mesmo em momentos duros. Que seja o seu refúgio em dias caóticos. Fique com alguém que quando te abraça, o resto do mundo não importa mais. Fique com alguém que te transborde.

eu quero que o amor
seja assim
de encontro e simplicidade
sem teto
transbordante, nao sufocante
com vontade de ser melhor e maior
juntos
fora os traumas todos
e o passado torto
o que se faz além e apesar
com confiança e fé...
 
........

e aí, já nao sei se falando 
de amor ou de vida, 
minha caixinha 
me mandou essa :)
 

E uma amiga esse texto:
"1ª Lei – A PESSOA QUE CHEGA É A PESSOA CERTA.
Ou seja, ninguém chega em nossas vidas por acaso, todas as pessoas que nos rodeiam, que interagem conosco, estão ali por algum motivo, para nos fazer aprender e avançar em cada situação.
2ª Lei – O QUE ACONTECE É A ÚNICA COISA QUE PODIA ACONTECER.
Nada, absolutamente nada do que nos acontece em nossas vidas poderia ter sido de outra maneira, nem sequer um detalhe mais insignificante. Não existe aquilo de …”se tivesse feito tal coisa … teria acontecido tal coisa …”.
3ª Lei – EM QUALQUER MOMENTO QUE COMECE É O MOMENTO CORRETO.
Tudo começa no momento certo, nem antes nem depois. Quando estamos preparados para que algo novo comece em nossas vidas, aí então começará. O que aconteceu foi o que pôde acontecer e teve que ser assim para que aprendêssemos essa lição e seguíssemos em frente. Todas e cada uma das situações que acontecem em nossas vidas, são perfeitas, ainda que nossa mente e nosso ego resistam e não queiram aceitar.
4ª Lei – QUANDO ALGO TERMINA, TERMINA.
Simplesmente assim. Se algo terminou em nossas vidas, é para nossa evolução , portanto, é melhor deixá-lo seguir adiante e avançar já enriquecidos com essa experiência. Creio que não é por acaso que você esteja lendo este texto. Se este texto chega em nossas vidas é porque estamos preparados para entender que nenhum floco de neve cai em lugar errado.
(Ensinadas na Índia)


quarta-feira, 22 de abril de 2015

sobre poemas...

Sobre um Poema 

Um poema cresce inseguramente 
na confusão da carne, 
sobe ainda sem palavras, só 
ferocidade e gosto, 
talvez como sangue 
ou sombra de sangue pelos 
canais do ser. 
Fora existe o mundo. 
Fora, a esplêndida violência 
ou os bagos de uva 
de onde nascem as raízes minúsculas do sol. 
Fora, os corpos genuínos 
e inalteráveis 
do nosso amor, 
os rios, a grande paz 
exterior das coisas, 
as folhas dormindo o silêncio, 
as sementes à beira do vento, 
– a hora teatral da posse. 
E o poema cresce 
tomando tudo em seu regaço. 
E já nenhum poder destrói o poema. 
Insustentável, único, 
invade as órbitas, a face amorfa 
das paredes, a miséria dos minutos, 
a força sustida das coisas, a redonda e livre harmonia 
do mundo. 
– Em baixo o instrumento 
perplexo ignora 
a espinha do mistério. 
– E o poema faz-se contra 
o tempo e a carne. 

Herberto Helder


E outro...

 
um bom poema 
leva anos
 cinco jogando bola, 
 mais cinco estudando 
sânscrito, 
 seis carregando pedra, 
nove namorando a vizinha, 
sete levando porrada, 
quatro andando sozinho, 
 três mudando de cidade, 
dez trocando de assunto, 
uma eternidade, 
eu e você, caminhando junto

 Paulo Leminski

quarta-feira, 15 de abril de 2015

sobre barcos, poças & mar ...


Não vai ser o primeiro amor não concreto
não será essa a única carta
que o destinatário não receberá
não será essa uma dor nova e estranha
é frágil e fugaz, a vida e seus exercícios
e as vezes repetimos cenas
uma parte de mim talvez finja superação
ou realmente consiga rir, dançar
e tocar o barco pra outros horizontes
mas um pedacinho meu criança
fica lá na beira do cais
desamparado e impotente
como diante de uma poça seca
vendo o barquinho de papel se desmanchar
e não resistir.

Não sei se a dor
é perceber o efêmero
se é crer na força de barcos frágeis
se é tentar transformar poças em mar
Se a dor é esse processo de crer-descrer
se é o medo de perder o ânimo e o gosto de navegar!

Talvez a dor
seja não reconhecer que a eternidade
de um sentimento
contrariando tudo que aprendemos
pode ser de um dia, uma semana, um ano,
resolvo não negar a importância do que senti...

Estar na água dissolve barcos
remove barcos, muda horizontes,
estar na água é o movimento,
necessário e preciso...
sem drama!

Respiro fundo
embolo em um canto qualquer
o rascunho de auto-piedade...
esse sim, desnecessário!

E DECIDO PELO MAR!

Seguidores