segunda-feira, 14 de março de 2011

voltando pra dentro...

Lembro que quando criança,eu passava tarde inteiras fazendo imagens nas nuvens, naquela cidade pequena, com quase nenhum movimento nas ruas de paralelepídedo, meu brinquedo era flutuar e imaginar...Depois, ganhei de presente da minha mãe, meu primeiro caleidoscópio e ficava um tempo enorme me enchendo de cor e reflexos, concentrada...eu era pra dentro, apesar do meus olhos estarem pra fora...eu era silenciosa, pensativa, quase triste...

Depois, por que fiquei adolescente e o mundo não costuma respeitar quem fica pelos cantos, me forcei a ser do centro, e falar mais do que pensar, a fazer os outros rirem, por que na adolescência ser aceita é uma condição doída e necessária, eu comecei a viver mais e mais pra fora...e os momentos de dentro, eram preenchidos com diários...

Mais tarde, os diários pareceram obsoletos e numa queima de passado fiz virarem cinzas... Comecei a fazer poesia, curtinhas, e eram meus diários mais compactos, relendo-as sei bem que emoção foi geradora de cada uma, que amor, que momento, que silêncio...Mas de fato, eu sei que vivia cada vez mais pra fora...

Hoje um amigo me mostrou: tenho 1.000 pessoas no facebook, e de repente isso tudo me pareceu demais.
Entendi que entrei nesse mundo de super exposição, câmeras e milhões de assuntos, no meio de tanto, tanto movimento, onde toda e qualquer emoção parece banalizada, senti vontade de parar, só um pouquinho...(pode ser Tpm)
Senti falta do tempo e da disponibilidade de me olhar, de rever minhas nuvens e reflexos internos...um pouco menos pra fora e muito mais entregue e silenciosa, me permitindo ser, diante do meu olhar mais atento...



Pra incorporar essa sensação, peguei essa foto bonita da Vicky Fernandez, por que tenho um carinho sem fim por varal...um fascínio pelas roupas criando vida própria, as camisas brancas do meu pai abanando em pleno vôo...

Acho que ando precisando de pátio,varal, silêncio...e sossegar ao fim do dia com banho quente, café com leite, pão com manteiga...ou com bolo recém feito lotadinho de dulce de leche...
Naquelas tardes minha mãe ou avó me chamava pra dentro... agora é o tempo , e a saudade...de mim...

Um comentário:

  1. Nadia Linda, vc sempre "mediunicamente" expressando nossos momentos...
    Também estou assim , totalmente em hibernação, me dando colo.
    Precisava muito parar, e apesar do medo, estou me encontrando comigo mesma.
    Um beijo grande no seu coração.

    ResponderExcluir

Seguidores